Vista área de Barra Grande, principal destino turístico da Península de Maraú. | Foto: Darlim Santos | Barra Grande 24h

Os reflexos da pandemia do Coronavírus (Covid-19), estão atingindo em cheio a situação econômica do turismo da península de Maraú, devido ao fechamento do setor hoteleiro e também de bares e restaurantes, por decreto, desde o dia 20 de março. O fechamento pela prefeitura segue recomendações de autoridades em saúde. Até o momento, o município registra 3 casos confirmados, 1 óbito e 5 casos suspeitos.

A grande maioria dos empresários da península já fizeram, pelo menos até o fim de abril, alterações no seu quadro de funcionários e colaboradores. Levantamento feito por um escritório de contabilidade que atende diversos empresários de Barra Grande e demais povoados turísticos, com as pousadas fechadas o faturamento delas zerou desde 23/03. Os bares e restaurantes também.

De acordo com o escritório de Luis Contabilidade na península algumas pousadas já fecharam as portas definitivamente. “Processamos aqui em nosso escritório, só do Município de Maraú, no período de 27/03 a 30/04 um total de 473 demissões (Somente Pousadas e Restaurantes). Um número alarmante. São 172 suspensão de contrato por 60 dias.” Explica.

Ainda de acordo com o escritório, os números são referentes ao trabalhador formal. O número de demissões de trabalhadores clandestinos (sem registro em carteira) deve ser ainda maior. A estimativa é que no município de Maraú, foram demitidos mais de 1.800 pessoas.

Uma boa parcela destes trabalhadores, são de outras cidades e alugavam casas, mas, com as demissões, voltaram para seus domicílios de origem, desocupando os imóveis, gerando ainda mais prejuízos e instabilidade agora no setor imobiliário.  Bares e restaurantes tem apostado no serviço de entrega, mas, está longe de ser a solução. A alternativa de migrar para vendas em delivery não foi suficiente para manter o negócio com a mesma força, devido a alta concorrência que surgiu nesse meio.(Fonte:Barra Grande 24horas)