WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: nov/2019

Prefeita Gracinha, Presidente da Câmara, Manassés e IBGE, discutem planejamento para o Censo 2020 em Maraú

A prefeita de Maraú, Gracinha Viana (PP) e o presidente da Câmara de Vereadores, Manassés (PTC), participaram nesta terça-feira (19), de uma reunião com técnicos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. O encontro que aconteceu no plenário da Câmara Municipal, tem como objetivo esclarecer os procedimentos que serão adotados para o censo 2020.

A reunião conta com a presença de secretários Tinho (Infraestrutura e Obras), Samar (Administração), Antônio Carlos (Educação), Anaildes Porto (Desenvolvimento Social), Nilza Vicente (Turismo) e Valdemir Lisboa (Agricultura e Meio Ambiente), Adeilda, representante da Secretaria de Saúde, além do Coordenador de Gabinete, Gileno Lira. Também estão participando da reunião os vereadores Dudu (PSL), Cida, Vado (PP) e Gustavo (PP), também estão presentes.  

Ex-piloto de Stock Car Tuka Rocha morre vítima de acidente com aeronave em Barra Grande, diz Sesab

Ex-piloto da Stock Car, Tuka Rocha é um dos sobreviventes de um acidente aéreo

Morreu na manhã deste domingo (17), em Salvador, o ex-piloto de Stock Car Tuka Rocha, vítima da queda de um jato executivo em Maraú, no baixo sul da Bahia, na quinta-feira (14). A informação é da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab). Trata-se da terceira morte confirmada após o acidente. Outras sete pessoas continuam internadas.

Christiano Chiaradia Alcoba Rocha, 36 anos, conhecido como Tuka Rocha, morreu às 6h20, no Hospital Geral do Estado (HGE), na capital baiana, segundo a Sesab. Ele estava na unidade desde sexta-feira (15), quando havia sido transferido do Hospital Municipal de Salvador. Tuka teve 80% do corpo queimado.

Não há informações sobre o sepultamento dele.

Em 2011, o ex-piloto da Stock Car já tinha escapado de um grave acidente, quando o carro que ele pilotava em uma competição pegou fogo, no Rio de Janeiro. Ele conseguiu se jogar do veículo.

Vítimas

A queda do jato executivo aconteceu na pista de pouso de um resort de luxo que está desativado. Morreram Maysa Marques Mussi, de 27 anos, e a irmã dela, a jornalista Marcela Brandão Elias, de 37 anos.

Os outros ocupantes da aeronave ficaram feridos e estão internados em hospitais de Salvador. São eles:

  • Aires Napoleão, de 66 anos, que pilotava o jato
  • Fernando Oliveira Silva, de 26 anos,
  • Marcelo Constantino, de 28 anos, neto do Nenê Constantino, fundador da Gol
  • Marrie Cavelan, de 27 anos
  • Eduardo Mussi, irmão do deputado licenciado Guilherme Mussi
  • Eduardo Trajano Telles Elias, de 38 anos, que era casado com Marcela Brandão Elias
  • Eduardo, de 6 anos, filho de Eduardo e Marcela

Novas manchas de óleo atingem o Piauí

A força-tarefa do governo federal que acompanha o caso das manchas de óleo encontradas nas praias do litoral do Nordeste e do Sudeste brasileiro confirmou nesta sexta-feira, 15, o aparecimento de novas manchas de óleo no Piauí. O material foi encontrado em praias de Ilha Grande e Parnaíba. Na quinta-feira, 14, já haviam sido registradas manchas em Luís Correia, onde a praia de Atalaia foi decretada imprópria para banho pela secretaria estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

Além desses casos no Piauí, têm vestígios de óleo e estão com ações de limpeza em andamento outros 20 locais: Araioses, no Maranhão; Fortim, no Ceará; Baía Formosa, no Rio Grande do Norte; Paulista e São José da Coroa Grande, em Pernambuco; Coruripe, Barra de São Miguel, Feliz Deserto e Piaçabuçu, em Alagoas; Brejo Grande, em Sergipe; Prado, Canavieiras, Ilhéus, Itacaré, Maraú, Cairu, Belmonte e Entre Rios, na Bahia; Linhares e Serra, no Espírito Santo.

Segundo nota divulgada nesta sexta-feira pela força-tarefa, já foram recolhidas cerca de 4.500 toneladas de resíduos de óleo.

Maysa Mussi é a segunda morte confirmada de acidente aéreo em Barra Grande, na Península de Maraú

 

As irmãs, Marcela e Maysa não resistiram ao acidente (Foto: Reprodução/Instagram)

 

Do Correio da Bahia

O acidente  aéreo que ocorreu em Maraú, no sul da Bahia, teve sua segunda morte confirmada neste sábado (16). Maysa Marques Mussi tinha 27 anos e era irmã de Marcela Brandão Elias, também vítima fatal da tragédia que deixou outros oito feridos. 

A informação da morte foi confirmada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), por volta das 22h. Por meio de nota, a pasta informou que a sobrevivente foi transferida do Hospital do Subúrbio, onde estava internada, para o Hospital Geral do Estado (HGE) nesta tarde, “no entanto, a paciente veio a falecer por volta das 21h30. Oito pacientes permanecem internados. A unidade estadual é referência em trauma e um dos poucos equipamentos do Brasil dotados de centro cirúrgico e UTI especializados no atendimento a vítimas de queimaduras”.

Maysa era uma das pacientes em estado mais grave entre os sobreviventes e não resistiu à transfêrencia de unidade hospitalar. Todos os outros oito sobreviventes também estão em estado grave. Estavam no bimotor Cesna Citation 550 de Prefixo PT-LTJ Eduardo Trajano Elias, Marcela Brandão Elias e Eduardo Brandão (de 6 anos e filho do casal), o ex-piloto de Stockcar Tuka Rocha, que teve 80% do corpo queimado, além de Maysa Mussi, esposa de Eduardo Mussi, também ocupante do avião e irmão do deputado federal licenciado Guilherme Mussi (PP-SP), Marcelo Constantino Alves, Marie Cavelan, Fernando Oliveira e Aires Napoleão Guerra, piloto do avião, que caiu nesta quinta-feira (14).

Todos os feridos estão em estado grave e a maior parte deles está sob efeito de sedativos, por causa da forte dor que sentem no corpo, e alguns chegaram a precisar de anestesia geral para que a equipe médica pudesse fazer o processo de limpeza e curativos. Maysa casou em meados de agosto com Eduardo, em um resort de luxo em Itacaré. O casal não tem filhos.

Embora tenha morrido ainda no local do acidente, o corpo de Marcela Elias segue no Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Ilhéus, onde aguarda reconhecimento. Como ela foi carbonizada, o processo de identificação deve ocorrer através de comparação de arcada dentária. Uma dentista legal aguarda alguns documentos solicitados à família, como prontuários de dentistas, fotos que mostrem o sorriso da vítima ou laudos médicos.

Destroços do avião que caiu em Barra Grande foram retirados neste sábado

Os trabalhos de retirada dos destroços do avião bimotor Cessna 550 que caiu nesta quinta-feira (14) próximo da pista de pouso do resort Kiaroa Eco-Luxury Resort, na praia de Barra Grande, distrito de Maraú, na região sul da Bahia começaram na manhã deste sábado.

O material foi levado para um hangar que é de propriedade da família do deputado federal Guilherme Mussi. A queda do avião deixou uma vítima fatal confirmada: Marcela Elias, figura muito conhecida na alta sociedade paulistana. Marcela era casada com Eduardo Elias, filho de Jorge Elias, um dos maiores decoradores do Brasil, e Lucila. Marcela, que era jornalista e atuou por muitos anos como relações públicas, morreu carbonizada.

 

O bimotor pertence ao banqueiro José João Abdalla Filho, conhecido como Juca Abdalla, dono do Banco Clássico e um dos homens mais ricos do Brasil.

Aeronáutica começa investigação sobre queda de avião em Barra Grande; uma pessoa morreu e 9 ficaram feridas

Investigadores do Segundo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa II), da Aeronáutica, chegaram nesta sexta-feira (15) a Barra Grande, distrito que pertence a Maraú, no baixo sul baiano, para investigar a queda de um avião no local.

O acidente aconteceu na quinta-feira (14) em uma pista de pouso de um resort de luxo da região que está desativado. Uma mulher morreu carbonizada e nove pessoas ficaram feridas. Todas as vítimas feridas, entre elas uma criança de 6 anos, estão internadas em Salvador.

A Seripa II, que é um órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), faz uma coleta de dados, a partir da análise de partes da aeronave, fotografias da cena, reunião de relatos de testemunhas e documentos.

De acordo com a Aeronáutica, a investigação realizada pelo CENIPA vai apontar as causas do acidente e tem, também, o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características aconteçam. Não há data para conclusão da investigação.

 

Tuka Rocha, vítima de queda de avião, segue internado em estado grave

Ex-piloto da Stock Car, Tuka Rocha é um dos sobreviventes de um acidente aéreo

Da Revista Veja

A informação dada pelo comentarista Luciano Burti, durante a transmissão dos treinos livres para o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 no canal SporTV, de que o ex-piloto de Stock Car paulistano Tuka Rocha havia morrido após a queda de um avião bimotor Cessna 550 na tarde de quinta-feira 14, em Maraú, no sul da Bahia, foi desmentida minutos depois pelo narrador da casa, Sergio Mauricio. Tuka, chamado Christiano Chiaradia Alcoba Rocha, segue internado em estado grave no Hospital Geral do Estado, em Salvador, com queimaduras em 80% do corpo.

A queda do avião deixou uma vítima fatal confirmada: Marcela Elias, figura muito conhecida na alta sociedade paulistana. Marcela era casada com Eduardo Elias, filho de Jorge Elias, um dos maiores decoradores do Brasil, e Lucila. Marcela, que era jornalista e atuou por muitos anos como relações públicas, morreu carbonizada.
 

Seu filho de seis anos e o marido também estavam a bordo. Conforme a secretária de Saúde de Maraú, Juliana Lemos, eles ficaram com 90% do corpo queimado e são os feridos em estado mais grave. Ainda segundo Juliana, as outras vítimas apresentam queimaduras que cobrem entre 30% a 40% dos corpos.

O avião transportava amigos e parentes para um final de semana na Bahia. Também estavam a bordo Maysa Mussi, Eduardo Mussi (irmão do deputado Guilherme Mussi), Cristiano Rocha, Marcelo Constantino Alves, Marie Cavelan, Fernando Oliveira e o piloto da aeronave, Aires Napoleão Guerra.

Segundo a prefeitura de Maraú, a aeronave pegou fogo — ainda não se sabe se devido a algum problema que pode ter causado a queda ou se em função do choque com o solo, ocorrido por volta das 14h.

Em entrevista ao programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, o deputado estadual de São Paulo Delegado Olim (PP) informou que os passageiros do avião são da família do deputado federal licenciado Guilherme Mussi (SP), presidente do PP em São Paulo.

“Eles têm uma fazenda lá em Maraú, essa pista é da família. Foi descer o avião e pegou fogo. O irmão dele estava com a esposa, a moça que morreu é irmã da mulher dele [do irmão de Mussi], tem uma criança também. Eles estavam em oito no avião. O irmão dele conseguiu falar com o pai dele, que está fora do Brasil, está todo mundo meio em estado grave no hospital. Até está mandando um avião UTI para a Bahia para ver se vão transferir alguém pra cá”, relatou Olim.

O bimotor pertence ao banqueiro José João Abdalla Filho, conhecido como Juca Abdalla, dono do Banco Clássico e um dos homens mais ricos do Brasil. A reportagem entrou em contato com o banco, que não forneceu nenhuma informação sobre a aeronave ou sobre o paradeiro do proprietário.

De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), o bimotor prefixo PT-LTJ, registrado em nome de Abdalla, foi fabricado em 1981, adquirido em agosto de 2015, e estava com o certificado de aeronavegabilidade em situação regular. Registrado para realizar serviços aéreos privados, o bimotor não pode ser utilizado como táxi-aéreo comercial.

 

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out   dez »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia