BRASÍLIA — O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ( Ibama ) prevê que o petróleo que vem contaminando o litoral do Nordeste vá chegar à Baía de Todos os Santos , em Salvador, nos próximos dias, com extensão à Baía de Aratu, onde ficam uma base naval, um porto e um estaleiro.

Por isso, o órgão decidiu, em caráter urgente, acionar o plano de área da Baía de Aratu, que inclui ações na Baía de Todos os Santos. O plano é o único existente na área atingida e permitirá a adoção de medidas para tentar minimizar o impacto do petróleo num dos lugares mais bonitos e emblemáticos da Bahia.
 

Óleo encontrado na Praia do Forte, na Bahia. Foto: Carlos Valério Mendonça / Oceanauta

Técnicos do Ibama confirmaram ao GLOBO que a expectativa é que o petróleo chegue a Baía de Todos os Santos, cartão-postal de Salvador. É na baía, por exemplo, que está a Praia de Porto da Barra, a mais central da capital baiana.

Até agora, conforme o levantamento atualizado pelo Ibama, o óleo chegou em Calçada e Pituaçu, em Salvador, Vilas do Atlântico, em Lauro de Freitas, e Praia do Forte , em Mata de São João, entre outras localidades.

O óleo previsto para chegar nas Baías de Todos os Santos e de Aratu é o que vem percorrendo o litoral no Nordeste. Os técnicos do Ibama sobrevoaram a área onde foi detectada uma mancha de 21 quilômetros quadrados e constataram que não se tratava de óleo, mas de uma mancha de chuva. O mesmo vale para o borrão menor que apareceu nos mapas de satélites, de 3 quilômetros quadrados.

Até agora, as manchas de petróleo já atingiram 156 localidades, em 71 municípios dos nove estados do Nordeste. Muito pouco se sabe sobre esse óleo. O governo já disse que o petróleo tem o DNA do óleo extraído na Venezuela , sem precisar como esse petróleo chegou à costa brasileira. A Marinha e a Polícia Federal (PF) investigam o que está por trás da contaminação.