Dirigir na única estrada de acesso as praias da Península de Maraú tem sido um desafio para os motoristas. Bem-vindos à principal da Cidade de Ubaitaba ao povoado do Campinho, em Maraú: a BR-030, uma rodovia federal, um atoleiro para caminhões, carros, caminhonetes. Na estrada, os motoristas têm que se ajudar: o que passou, puxa o que ficou pelo caminho. Um enorme engarrafamento se formou na manhã desta quinta-feira, dia 12, após veículos ficarem atolados.

Um dos trechos mais complicados da rodovia é o que fica bem perto do povoado do Caubi, na região conhecida como “Pula Macaco”. Durante todo o dia, o cenário se repete: caminhões atolados, motoristas esperando — os que se arriscam passam com toda a dificuldade. Uma patrol da Prefeitura de Maraú estava no local tentando amenizar os transtornos.

Buracos, lama e trânsito parado, foi assim o dia de quem precisou trafegar pela BR-030. A situação piora com o tempo chuvoso no município. O DNIT, órgão responsável pela manutenção da rodovia, abandonou os serviços já faz um tempo e continua com a promessa de uma recuperação que nem data existe. 

A equipe do Site Barra Grande 24h, entrou em contado com o Superintendente do DNIT, na Bahia, Amaury Lima, para pedir esclarecimentos sobre a atual situação da rodovia. Segundo o superintendente, o órgão está em processo de substituição da empresa contratada para manutenção da via.

 

Questionado pela nossa equipe sobre uma ação emergencial na BR, o chefe do órgão disse que o DNIT só poderá atuar após a retirada oficial da empresa. Enquanto isso, lama, atoleiros e buracos seguirão fazendo parte da rotina de quem precisa trafegar pela rodovia que dá acesso as praias da Península de Maraú.